domingo, 20 de novembro de 2011

A CÉSAR O QUE não É DE CÉSAR

Enquanto os presidentes de associações de produtores rurais do Acre se mobilizam e reivindicam a recuperação de ramais e a execução do programa Luz Para Todos, do governo federal nos ramais com grande concentração de pequenas propriedades de agricultores que sonham em fugir do isolamento, no quilômetro 71 da estrada de Sena Madureira, a fazenda de propriedade do vice-governador César Messias (PP) estaria sendo beneficiada com os dois projetos que seriam destinados aos trabalhadores rurais.
A denúncia foi apresentada por um grupo de pequenos produtores do ramal Espinhara. Os trabalhadores rurais afirmam que os oito quilômetros do ramal particular que dar acesso apenas a fazenda de César Messias teria sido recuperado através do programa de Recuperação de Ramais do Incra. Os denunciantes dizem ainda, que os trabalhos teriam sido executados com equipamentos locados para o Deracre. Segundo os produtores rurais, as máquinas são da cooperativa Transterra, que presta serviços a autarqu
A reportagem de ac24horas esteve no local e constatou que o ramal, de fato, foi totalmente recuperado, tendo toda a base compactada com barro de qualidade e piçarramento em toda sua extensão. Uma porteira na entrada é a prova de que os oito quilômetros do ramal recuperados são de propriedade do vice-governador César Messias. Durante todo extensão do ramal, não existe nenhuma propriedade de pequeno produtor rural, que termina na porteira da fazenda de Messias. [Clique sobre a foto]
Procurado pela reportagem, o vice-governador César Messias, por telefone, confirmou a recuperação do ramal por máquinas que prestam serviço para o Deracre, mas negou que o ramal seja de uso exclusivo seu: “Este ramal já existe a mais de 5 anos e não serve só a mim. Ele atende a todos os produtores da região e assim como outros, foi incluído no programa de governo que recupera os ramais. Não vejo nada de anormal, até porque como cidadão também tenho direito aos benefícios do governo”, declarou.
Segundo informações de um dos trabalhadores de César Messias, no local moram oito famílias. Todas as pessoas que residem na propriedade seriam empregadas do vice-governador e moram em casas construídas próximo a sede da fazenda.
No quilômetro quatro uma das máquinas da Cooperativa Transterra ainda estava estacionada. Segundo o grupo de trabalhadores rurais que apresentou a denúncia, as caçambas que trabalham para o Deracre passaram vários dias transportando barro e piçarra para o local.
Luz Para Todos - Próximo a sede da fazenda de Messias, há vestígios da passagem do Luz para Todos, instalado para atender as necessidades do vice-governador e de seus empregados, conforme denuncia moradores vizinho do político.
Sobre este assunto Messias é categórico: “Este programa é de abrangência geral, para grandes e pequenos. O governo quer levar desenvolvimento para quem mora longe e que precisa de energia. Além do mais, essa denúncia é vazia, pois o programa Luz Para Todos foi executado há mais de dois anos aqui na nossa região”, explicou.
A rede elétrica com mais de oito quilômetros do projeto Luz para Todos, pode ser comprovado, já que na propriedade foi deixada uma capota de caminhonete com o adesivo do programa.
Peixe - Em conversa com funcionários de Messias que alimentavam peixes em tanques de piscicultura, a reportagem soube que na propriedade teriam sido instalados 28 tanques para criação de peixes, alguns com capacidade para acomodar 12 mil alevinos, que podem fazer parte do programa de piscicultura do Governo do Acre. Um dos trabalhadores afirmou que os técnicos da Secretaria de Estado de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (SEAPROF), fazem visitas técnicas semanais a criação de peixe. A reportagem, no entanto, não viu nenhum tanque com características de ter sido construído recentemente, o que descaracteriza a denúncia de o vice-governador ter se utilizado do benefício do programa do governo estadual. Também não havia nenhum técnico do SEAPROF no local.
César Messias confirmou a reportagem que é criador de peixe e que desenvolve um programa há mais de cinco anos, bancados com recursos próprios. Segundo César, existem em sua propriedade 22 tanques [e não 28] e que nunca recebeu a visita de técnicos do programa executado pelo governo. “Tudo aqui é feito com recursos próprio e o pessoal que me presta assessoria não é o mesmo do governo”, garantiu ele.
Próximo aos tanques está sendo erguido um galpão, onde segundo um empregado do vice-governador, será feito o beneficiamento do pescado e abrigará apartamentos para futuros empregados do empreendimento.
ia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentario é importante para nós!